Abertura: De terça a domingo.

Praça D. João III, 2

5210-190 Miranda do Douro

Menino Jesus da Cartolinha

Menino Jesus da Cartolinha

Menino Jesus da Cartolinha

A imagem do Menino Jesus da Cartolina (do século XVIII), aparece associada ao contexto de defesa nacional, à proteção da cidade e de Miranda do Douro, dos mirandeses e das populações do planalto mirandês.

O Menino Jesus da Cartolina tornou-se num ícone da Cidade de Miranda do Douro, tendo-se criado uma enorme afetividade a esta imagem, talvez por ser uma figura muito simpática e ternurenta, e ser também uma imagem extraordinária no contexto português.

A imagem veste de acordo com a liturgia: de verde no tempo comum; de roxo na Quaresma; de vermelho no dia de Pentecostes; de branco desde o dia de Páscoa até ao dia de Corpo de Deus, e de 25 de dezembro até dia 13 de janeiro.

Em sinal de devoção e carinho ao Menino Jesus da Cartolinha muitas pessoas deslocam-se propositadamente a Miranda do Douro para ver e rezar a este menino e nalguns casos oferecer peças de vestuário. Oferecem desde camisas, meias, chapéus, até à indumentária completa do menino, de que são exemplo um equipamento do Barcelona FC, um fato de comandante dos bombeiros, uma farda de tenente da Guarda Nacional Republicana, entre muitos outros.

Lenda do Menino Jesus da Cartolinha

Menino Jesus da Cartolinha

A lenda do Menino Jesus da Cartolinha remete para o ano de 1711, ano em que decorria a Guerra de Sucessão Espanhola. O Exército castelhano invadiu e sitiou Miranda do Douro.

Quando a cidade (Miranda do Douro) se encontrava invadida, saqueada e vexada pelos castelhanos e sem esperança de remissão, esperando o reforço das nossas tropas que nunca mais chegava, aparece nas muralhas um menino vestido de fidalgo cavaleiro chamando os mirandeses, incentivando e gritando às armas, contra o inimigo invasor. De todas as casas sai gente armada de foices, gadanhas, espingardas e varapaus para escorraçar os espanhóis.

À frente dos mirandeses o menino ora aparecia ora desaparecia, até que no fim da luta e depois da cidade libertada, o menino não mais se viu. Procuraram-no por toda a parte, mas em vão. O pequeno “General” tinha desaparecido.

Os mirandeses consideraram esta aparição como um autêntico milagre, assim como de milagre se tratara a vitória contra os espanhóis, sendo uma graça concedida pelo Menino Cavaleiro.

Mandaram então esculpir uma imagem do Menino Jesus vestido de fidalgo cavaleiro, e colocaram-no num altar da Catedral.

No dia 6 de janeiro de cada ano é realizada a festa em honra do Menino. O andor é decorado com toda a poupa, o menino vai vestido de capa de honras e a procissão é realizada à volta da Concatedral, sendo o andor com a imagem levado em ombros pelos meninos mais pequeninos.