Abertura: De terça a domingo.

Praça D. João III, 2

5210-190 Miranda do Douro

Música

Música

gaita de foles

Desde tempos remotos, o homem da Terra de Miranda descobriu, adaptou e usou vários instrumentos com os quais faziam a alegria do dia a dia, no campo, no trabalho ou guardando o gado, no lar na intimidade da sua vida, na igreja e nos terreiros, nas praças em manifestações pagãs, civis ou religiosas. A música sempre o acompanhou, é intrínseca à sua vida e entranha-se no percurso da sua História, na Etnologia, no Folclore e na Antropologia, brilha ao som da sua linguagem singular e universal.

As formas populares da expressão verbal, musical e coreográficas próprias da região do Planalto Mirandês encontram-se também representadas no Museu, através dos instrumentos musicais, dos quais se destacam a gaita-de-foles, a caixa de guerra, o bombo, os pandeiros, os tamboris e as flautas pastoris.

O gaiteiro e o tamborileiro são músicos, personagens, de maior destaque e interesse das antigas festas populares da região. O tamborileiro destaca-se pela sua capacidade de tocar dois instrumentos em simultâneo; a flauta pastoril e o tamboril, estes instrumentos faziam o acompanhamento da dança dos palitos, ou dança de pauliteiros. A par destes instrumentos as carracas, introduzidas por peregrinos de Santiago de Compostela e da Galiza, as castanholas, o rancalho, e os ferrinhos, em uso em outras partes do país.

O espaço de “De La Pança ben la Dança” permite ao visitante tocar em alguns objetos que se encontram expostos neste espaço; sarronca, colheres, garrafa, tambor de lata de café, sartã com dedal e flautas de barcego. Estes instrumentos de acesso e adaptação fácil eram usados sempre que havia escassez dos anteriores ou o dinheiro não chegava para a sua aquisição.

Também no planalto mirandês se tocava a concertina, a guitarra, a viola e outros instrumentos, já mais modernos e eletrónicos. Já no final do século XIX aparecem as bandas filarmónicas e introduziram-se também a sanfona ou viola de roda.

**Texto em Língua Portuguesa**

Zde tiempos mui antigos, l home de la Tierra de Miranda çcubriu, amanhou i tocou bários strumentos cun que fazie l’alegrie de l die a die, pul termo, ne l trabalho ou cun l ganado, an casa na bida cun la família, n’eigreija i ne ls terreiros, nas praças an fiestas paganas, cebiles ou religiosas. La música siempre andou de cumpanha cun l home mirandés, fai parte de la bida del i de l camino de la sue Stória, n’Eitnologie, ne l Folclore i n’Antropologie, brilha de a par cula sue lhenguaige singular i ounibersal.

Las formas populares de la fala, de la música i de la coreografie própias de l Praino Mirandés tamien stan repersentadas ne l Muzeu, cun ls strumentos musicales, antre ls quales relhúzen la Gaita de Fuolhes, la Caixa de Guerra, l Bombo, ls Pandeiros, ls Tamboriles i las Fraitas de ls Pastores. L Gueiteiro i l Tamborileiro son músicos, personaiges de grande amportáncia i anteresse de las antigas fiestas populares de l Praino. L tamborileiro ye amportante por ser capaç de tocar dous strumentos a la par: la fraita de ls pastores  i l tamboril; estes strumentos acumpanhában la Dança, la dança de ls dançadores. De a par cun estes strumentos, las charrascas, trazidas por ls palgrinos de Santiago de Cumpostela i de la Galiza, las castanhuolas, l ranacalho i ls ferricos, que tamien hai noutras partes de l paíç.

La sala “De la Pança ben la dança” permite-le al besitante topar an alguas de las cousas q’alhá stan: sarronca, colheres, garrafa, tambor de lhata de café, sertiana cun dedal i fraitas de barciego. Estes strumentos que nun custában a arranjar éran ousados siempre que nun habie de ls outros melhores ou quando l denheiro nun chegaba para ls mercar.

tamien ne l Praino Mirandés se tocaba la cuncertina, la guitarra, la biola i outros strumentos, yá mais modernos i eiletrónicos. Ende por l fin de l seclo XIX aparecírun las bandas filarmónicas que trazírun tamien la çanfona ou biola de ruodra.

**Texto em Língua Mirandesa**

Pauliteiros

traje pauliteiros miranda

A dança dos pauliteiros integra um forte constituinte identitário facilmente associado à Terra de Miranda. Apesar de não ser um elemento exclusivo desta região apresenta-se como um forte elemento da etnografia mirandesa.

Os pauliteiros são um grupo de homens (ou de mulheres) que executam danças batendo “paus” uns nos outros. Estas danças podem ser “denominadas como dança dos paulitos ou dança dos Pauliteiros. A população da Terra de Miranda chama os dançarinos Pauliteiros, dançadores e a dança simplesmente la dança ou dança de palotes”.

A indumentária dos dançadores é composta por “saias de algodão branco com bordados, com quatro lenços suspensos, camisas de linho ou de algodão, coletes em burel bordados a retalho e meias de lã. Calçam botas de cabedal e trazem na cabeça chapéus enfeitados com flores. Nas mãos têm dois paus e por vezes castanholas. Nas festas religiosas locais, alguns grupos, em vez de saias vestem calças, camisa branca e jaleco”.

O acompanhado musical dos pauliteiros é feito normalmente por um gaiteiro e por um tocador de bombo e outro de caixa. Podem também ser acompanhados por um tamborileiro que toca em simultâneo uma flauta pastoril (La fraita) e um tamboril. Alguns grupos também utilizam as castanholas em algumas músicas e coreografias.

**Texto em Língua Portuguesa**

La Dança de ls Palos ye un fuorte eilemento eidentitairo de la Tierra de Miranda. Inda que nun pertença solo a esta region, apersenta-se cumo parte mui amportante de l’eitnografie mirandesa.

Ls Dançadores son un tagalho de homes (ou de mulhieres)  que dánçan batendo “palos” uns ne ls outros. Estas danças puoden-se chamar “dança de ls palos” ou Dança de ls Pauliteiros. La gente de la Tierra de Miranda chama-le Dançadores als Pauliteiros i a la dança chama-le solo “la Dança” ou “dança de palotes”.

La bestimenta de ls Dançadores ten “saias de algodon branco cun bordados, cun quatro lhenços çpindurados, camisas de lhino ou de algodon, jalecos de burel bordados a retalho i miotes de lhana. Cálçan botas de bezerro i traien na cabeça chapéus anfeitados cun flores. Nas manos ténen dous palos i a las bezes castanhuolas. Nas fiestas religiosas, alguns grupos, an beç de saias bísten calças, camisa branca i jaleco”.

l toque de la música de ls Dançadores ye un gueiteiro, un tocador de bombo i outro de caixa. Tamien puoden ser acumpanhados por un tamborileiro que toca ua fraita de pastor i un tamboril al mesmo tiempo. Alguns grupos tamien úsan castanhuolas an alguns lhaços.

**Texto em Língua Mirandesa**