Abertura: De terça a domingo.

Praça D. João III, 2

5210-190 Miranda do Douro

Museu Terra de Miranda

A Direção Regional de Cultura do Norte acaba de ver aprovadas sete novas candidaturas apresentadas ao Aviso Património Cultural-Infraestrutural do Programa Operacional Norte 2020, num total de investimento superior a 3 Milhões de Euros.

Tendo como prioridade de investimento, a conservação, proteção, promoção e desenvolvimento do Património Natural e Cultural, as candidaturas agora aprovadas, com prazo de execução de dois anos, irão incidir nos seguintes monumentos: Paço dos Duques de Bragança (Guimarães), Museu dos Biscainhos (Braga), Museu da Terra de Miranda (Miranda do Douro), Mosteiro de Tibães (Braga), Mosteiro de São Bento da Vitória (Porto), Igreja Matriz de Torre de Moncorvo e Igreja Matriz de Vila do Conde.

A estratégia delineada pela Direção Regional de Cultura do Norte visa a descentralização do investimento, alargando as suas ações a todo o território, num plano de trabalho em rede que contempla, igualmente, o apoio a candidaturas apresentadas por outras entidades e que mereceram, igualmente, aprovação.

Visando a salvaguarda e proteção do património, mas também a sua dinamização, divulgação e consequente fruição por parte do público, as candidaturas apresentadas aos fundos comunitários revestem-se de um caráter transversal, dando continuidade ao trabalho que tem vindo a ser realizado ao longo dos últimos anos, num claro esforço de criação de sinergias alargadas a todo o território, com evidentes repercussões ao nível das economias locais.

O Museu da Terra de Miranda terá um investimento total superior a 800 Mil Euros. Perto de completar quatro décadas de existência, o Museu da Terra de Miranda é um espaço cultural de referência na região onde se insere. Sendo uma cidade localizada em território de baixa densidade demográfica, Miranda do Douro reúne condições ímpares para a atratividade turística.

O Museu da Terra de Miranda terá, ao longo dos próximos dois anos, uma significativa intervenção no seu edifício, bem como no seu discurso expositivo, pretendendo-se criar uma museografia mais contemporânea, mais interativa, mais atrativa. Será a partir desta reformulação do seu discurso, embora não perdendo de vista o seu objetivo de difusão da cultura antropológica local, que o Museu da Terra de Miranda se pretende afirmar como uma âncora de atratividade de e para o território.